domingo, 25 de janeiro de 2009

LANÇADO NOVO LIVRO DO EMIR SADER

A nova toupeira: os caminhos da esquerda latino-americana
A América Latina irrompe o século XXI diante de um novo dilema. Se a independência e os projetos nacionalistas estiveram na ordem do dia em outros momentos históricos, hoje o desafio é superar as políticas falidas do neoliberalismo. Esse é o ponto de partida de Emir Sader, em A nova toupeira, os caminhos da esquerda latino-americana.
A toupeira, animal com problemas de visão, circula embaixo da terra sem fazer alarde e surge onde menos se espera. Sua figura ilustra passagens de obras de Shakespeare, Hegel e Marx. Para Sader, "tal imagem remete às incessantes contradições intrínsecas do capitalismo, que não deixam de operar, mesmo quando a "paz social" – a das baionetas, a dos cemitérios ou a da alienação – parece prevalecer".
Como aponta o autor, na virada para do terceiro milênio a América Latina surpreendeu o mundo ao contestar o modelo que até então reinava absoluto. Assim, foram eleitos os presidentes Hugo Chávez na Venezuela (1998), Lula no Brasil e Néstor Kirchner na Argentina (2003), Tabaré Vázquez no Uruguai (2004), Evo Morales na Bolívia (2006), Daniel Ortega na Nicarágua e Rafael Correa no Equador (2007) e Fernando Lugo no Paraguai (2008). Paralelamente, "a proposta norte-americana de um tratado de livre-comércio para as Américas, aprovada quase unanimemente em 2000, foi rejeitada e enterrada em 2005".
Diante deste quadro, A nova toupeira procura entender em que medida o neoliberalismo permanece hegemônico, analisando a natureza dos atuais governos latino-americanos e propondo um debate fundamental para a compreensão das questões políticas de nosso tempo.
O volume conta com caderno de imagens de líderes e revolucionários latino-americanos. Orelha de Michael Löwy.
Trecho de A nova toupeira
"O continente americano é o de maior grau de desigualdade no mundo – e, portanto, de injustiça –, situação que só se acentuou com a década neoliberal, mas os duros golpes sofridos pelo campo popular, tanto com as ditaduras quanto com as políticas neoliberais, não faziam pressagiar uma mudança tão rápida e profunda. Buscaremos compreender as condições que permitiram uma virada tão radical e transformaram o paraíso neoliberal em oásis antineoliberal num mundo ainda dominado pelo modelo neoliberal, assim como o potencial e os limites dessa virada, num marco continental e mundial."
Sobre o autor
Emir Sader nasceu em São Paulo, em 1943. Formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo, é jornalista, sociólogo e professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). É secretário-geral do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (Clacso) e coordenador-geral do Laboratório de Políticas Públicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Coordena a coleção Paulicéia, publicada pela Boitempo, e organizou lado de Ivana Jinkins, Carlos Eduardo Martins e Rodrigo Nobile a Latinoamericana – enciclopédia contemporânea da América Latina e do Caribe (São Paulo, Boitempo, 2006), vencedor do 49º Prêmio Jabuti, na categoria Livro de não-ficção do ano. Tem publicados pela Boitempo os livros: A vingança da história, O poder, cadê o poder? – ensaios para uma nova esquerda e Contraversões – civilização ou barbárie na virada do século (em co- autoria com Frei Betto).
Ficha técnica
Título: A nova toupeira
Autor: Emir Sader
Orelha: Michael Löwy
ISBN: 978-85-7559-131-4
192 páginas
R$ 39,00
Boitempo Editoral-Ana Maria Straube-Assessoria de Imprensa+ 55 11 3875 7285+ 55 11 8445 2524

Um comentário:

Rosemary Siqueira disse...

Vou iniciar a leitura amanhã. Creio ser importante sabermos um pouco sobre esse "animal" tão silencioso e presente em nosso continente, para não sermos pegos de surpresa.