quinta-feira, 20 de agosto de 2009

UMA CIDADE EM BUSCA DE IDENTIDADE CULTURAL

Grupo de artistas mostra que Capital tem graça

Sábado, 15 de Agosto de 2009 12:25

Marcelo Victor

Movimento tenta acabar com mito de que a centenária Campo Grande (MS) não tem identidade cultural

Lançado no coração da cidade, o “Morenismo”, movimento para divulgar a cultura local, tenta acabar com o mito de que em Campo Grande (MS) não há nada o que fazer. Para combater a tese de uma cidade esvaziada de atividades culturais, roteiro com sugestões de programas foi distribuído na manhã deste sábado, no cruzamento da rua Calógeras com a avenida Afonso Pena.
A escolha não foi gratuita, afinal o cruzamento e seus arredores têm muito a contar sobre a história de Campo Grande, que chega aos 110 anos no dia 26 de agosto. “Aqui tem o relógio, que antes era o relógio da 14 de Julho, a Casa do Artesão, onde funcionou o primeiro banco da cidade, a Loja Maçônica, o busto do fundador da cidade, o Camelódromo, a Morada dos Baís”, enumera o jornalista Eduardo Romero, um dos articuladores do “Morenismo”.
De acordo com ele, o intuito é revelar a cidade para os campo-grandenses e também aos que vêm de fora. “A grande maioria das pessoas acredita que Campo Grande não tem identidade cultura, porque tudo vem de fora. É preciso parar de desdenhar, desqualificar a cidade”, afirma. Ao todo, serão distribuídos dez mil folhetos com as sugestões de programas culturais.
Há 20 sugestões de programas culturais, de segunda a segunda. Diariamente, o CineCultura, na avenida Afonso Pena, exibe filmes a R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada).
Já toda segunda terça-feira de cada mês tem o Sarau do Centro Cultural, das 19h às 21h, com entrada gratuita. Na quarta-feira, a sugestão é o Sarau do Zé Geral, a partir das 20h, na avenida Ernesto Geisel, 2821.
Na quinta-feira, o roteiro sugere o Cena Som, que traz espetáculos de música, dança ou teatro por R$ 15 e R$ 7 (meia-entrada). O Cena Som acontece no teatro Aracy Balabanian.
Sexta-feira é dia de “Sexta no Sesc, das 19h às 22h, no Horto Florestal. Das 10h às 11h de sábado, o público infantil pode se divertir com a oficina de Contação de Histórias na Livraria Lê, na rua Antônio Maria Coelho, 3862. A entrada é franca.
No domingo, tem Domingo Cultural da Feira Central, com apresentações de música, teatro, circo e dança. A programação acontece das 19h às 21h, com entrada franca.
O objetivo do “Morenismo” é que os bairros divulguem suas próprias agendas culturais. As ações do “Morenismo” podem ser conferidas no site http://www.morenismo.blogspot.com/
Foto: Marcelo Vitor

Um comentário:

Damarci disse...

Olá.
Tudo bem?
Valeu pela divulgação nacional.
Beijão.